quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Bola pra frente!!

Tem dias que a gente convive com a sensação incômoda de que era melhor não ter levantado da cama. As horas custam a passar e ficamos com a impressão de que tudo parou, pelo menos em nossa vida. Se fôssemos poetas, como o Chico, diríamos algo como: "Tem dias que a gente se sente como quem partiu ou morreu. A gente estancou de repente, ou foi o mundo então que cresceu...".

Não importa o que você faça, sua profissão ou seu grau de sucesso. Você certamente já experimentou esse sentimento de que algo está errado e que, provavelmente, nada mais dará certo. Não há ninguém no mundo que já não tenha sentido o gosto do fracasso, da perda, da desesperança. Os motivos podem ser os mais variados, da perda do emprego até o fim de um amor - ou mesmo a percepção de que um sonho antigo, tão querido e acalentado, provavelmente não se realizará.

Em grau maior, às vezes ficamos pasmos e mudos diante das notícias do jornal sobre o que estão fazendo com nosso mundinho em todos os lugares. Desde o bairro aqui do lado, onde um crime passional aconteceu, até aqueles países em que o fundamentalismo mostra a (feia) cara.

Tem dias que parece que a nossa bola parou de rolar. Ou, pior, parece que estamos quase fazendo um gol contra. Muito cuidado nessa hora. É melhor baixar a emoção por um instante, conter o ímpeto de fazer a primeira loucura que passar pela cabeça. O melhor é mandar a bola pra frente, que é para onde ela sempre deve estar indo, em direção ao seu destino.

Vamos ser honestos: este texto, apesar de ser uma prosa, parece que está tentando parecer poesia, não é mesmo? Apelando para a emoção, citando uma frase musical e lembrando uma das expressões idiomáticas mais utilizadas em nosso país - bola pra frente! Pois é, mas apesar dessa aparência romântica, estamos tratando de um assunto tão sério quanto corriqueiro. Afinal, a necessidade que temos de olhar para a frente e enfrentar a carga de forças contrárias é muito grande.

Quando comecei a pensar nesse tema, me detive numa auto-análise, tentando lembrar quantas vezes vivi essa situação de ter que engolir em seco e continuar o jogo, apesar das circunstâncias. Conversando com amigos, recebi a mesma informação. Todos relatam coleções de momentos de retomada do jogo. Um chegou a me dizer: "Eu nunca saí do jogo, mas parece que o estou (re)começando quase todos os dias".

Pensando bem, é isso mesmo que fazemos o tempo todo: começamos o jogo de novo. Quem não tem a energia necessária para esse eterno começar fica de fora do jogo e, claro, perde. E haja energia...



A VIDA É UM JOGO QUE ESTÁ SEMPRE (RE) COMEÇANDO...NOSSO PAPEL É CANALIZAR A ENERGIA PARA CONQUISTAR O MELHOR....

6 comentários:

Michele P. disse...

Adorei o texto, Clau! Acho que eu precisava dele!

Um abraço

inclosed disse...

que bom que gostou do selinho...
Lembrei logo de ti quando me indicaram, sabe que gosto bastante daqui e sempre que posso dou uma passadinha pra apreciar ...

beeijo!

Cassia disse...

Muito lindo o seu Blog e me visite quando puder!

http://verdorinvisivel.blogspot.com/

Eraldo Paulino disse...

Faço das palavras da P as minhas.

Beijo!

Ana Gaúcha _Professora disse...

LINDAAAAAAAAAAAAAAAAA

Saudadessssssssssssss
e repito__

. Quem não tem a energia necessária para esse eterno começar fica de fora do jogo e, claro, perde. E haja energia...


A VIDA É UM JOGO QUE ESTÁ SEMPRE (RE) COMEÇANDO...NOSSO PAPEL É CANALIZAR A ENERGIA PARA CONQUISTAR O MELHOR....
Postado por C. Mantovani

bjssssssssssssssss
amada

Cassia disse...

pode apostar que desabafos de uma alma ´sempre interessante